O Parque Estadual do Desengano – PED é a mais antiga Unidade de Conservação Estadual e constitui o último remanescente florestal contínuo de expressiva extensão do norte fluminense, com área de 22.400 hectares (224 quilômetros quadrados). Abrange os municípios de Santa Maria Madalena, Campos e São Fidélis, e o seu nome faz alusão ao ponto culminante da Unidade, a Pedra do Desengano, com 1.761m de altitude.

Os dispositivos legais específicos que protegem o Parque são o Decreto-Lei Estadual nº 250, de 13 de abril de 1970, que o criou, e o Decreto Estadual nº 7.121, de 28 de dezembro de 1983, republicado no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro de 18 de janeiro de 1984, que instituiu uma área de proteção ambiental (APA), incluindo em seus limites a área do Parque Estadual do Desengano.

O parque abrange áreas de ampla variação altimétrica (200 até 1.761m de altitude), dentro do bioma Mata Atlântica, e protege inúmeras espécies de plantas ameaçadas de extinção, além de espécies endêmicas, que única e exclusivamente ocorrem na área do parque, sendo, portanto, considerada como área de muito alta prioridade para a conservação

A cobertura vegetal é formada por floresta ombrófila densa montana e submontana, floresta estacional semi-decidual e por campos de altitude. A floresta submontana reveste as terras até a cota altimétrica de 500 metros, ao passo que a floresta montana, situa-se entre 500 e 1.500 metros. Os campos de altitude ocorrem geralmente acima de 1.600 metros.

O Parque abriga um dos mais diversificados e preservados Campos de Altitude do Estado. Sua flora exuberante pode ser observada na Pedra do Desengano e no topo das serras do Itacolomi, da Pedra Marial, da Malhada Branca, Grande e das Cinco Pontas.

 Das 283 espécies de avifauna encontradas nos campos de altitude, 22 são endêmicas e ocorrem em populações reduzidas. Segundo Martinelli (1989), o Parque do Desengano apresenta os campos de altitude mais conservados do Estado, se comparados com os de Itatiaia, Frade, Morro do Cuca e Antas. O Clube de Observadores de Aves (COA) do Rio de Janeiro vem estudando as aves do Desengano desde 1985, tendo sido encontradas na região cerca de 410 espécies, o que evidencia a sua alta biodiversidade. Muitas delas estão ameaçadas de extinção, como jacutinga, macuco, gavião-pomba, gavião-pato, e outras como jacu, inhambu, araponga, gavião-pega-macaco e papagaio-chauá só remanescem nas áreas protegidas.

Entre os mamíferos, destacam-se: preguiça-de-coleira, onça-parda, quati, paca, barbado, tatu-galinha, irara, cateto, queixada, sauá, cuíca, macaco-prego, furão e mão-pelada. Em julho de 1999, foi observado também o muriqui ou monocarvoeiro, espécie de primata altamente ameaçada de extinção. Considerado o maior primata das Américas, entre as 35 espécies ameaçadas de extinção, o muriqui foi escolhido como símbolo do parque por seu carisma e potencial como representante da conservação da biodiversidade da Mata Atlântica.

Infra-estrutura do Parque Estadual do Desengano

Sede administrativa – Fica situada no Horto Florestal Central Santos Lima e  oferece apoio logístico às ações de fiscalização, atividades de pesquisas e levantamentos científicos.

Centro de Visitantes – Atendimento e recepção dos visitantes que procuram informações sobre o PED. Conta também com ampla área ao ar livre; e uma Trilha Interpretativa, a “Trilha da Cássia”.

O Parque Estadual do Desengano está dividido em 5 setores de visitação, mas atualmente somente o Setor Morumbeca dos Marreiros é o que encontra-se melhor estruturado para atender aos visitantes. São cinco trilhas “Circuito da Cascata”, “Poço do Padre”, “Mina”, “Pedra do Desengano” e “Serra da Pedra Marial” , com níveis de dificuldade e atrativos variados.

O Parque Estadual do Desengano conta com um Guia de Trilhas detalhado que pode ser baixado clicando abaixo:

Trilhas – Parque Estadual do Desengano. 342 páginas/95MB

Para mais informações acesse o site oficial do Parque.

Site – Parque Estadual do Desengano.

Horários de visitação :
Todos os dias, de 8h às 17h no setor administrativo e para visitação em atrativos e trilhas. (Fonte: site oficial em 27/12/18)

Sede:
Avenida José Dantas dos Santos, 35. Bairro Itaporanga – Santa Maria Madalena – RJ
Tel.: (22) 2561-3072 / (21) 2561-1378
Email : [email protected]